Tudo o que você não deve fazer em um email só

Email é uma importante ferramenta de comunicação para quase todos os profissionais atualmente. Para o corretor de imóveis diria que é imprescindível. Mas como tudo na vida tem algumas regras que deveriam de ser seguidas e para o email marketing não é diferente. Leia a análise que fizemos de um email que recebemos esta semana.

email-errado-de-corretor-de-imoveis

Vamos por partes para analisar melhor esta obra-prima.

 

Nunca escreva um “assunto” longo demais, nem em caixa alta

Este campo “assunto” do email está completamente errado por três motivos óbvios:

  • ele é extenso demais – mas muito mesmo!
  • o que comunica não tem relação com a mensagem
  • está inteiramente escrito em caixa alta (maiúscula)

Um bom campo de assunto deve ser cativante, curto e objetivo. Certamente é algo complexo de ser feito, mas é tudo questão de exercício e testes. O assunto deste email poderia ser “Você já comprou seu imóvel?”. É um exemplo, tão somente.

 

O “assunto” não é somente uma “frase”, mas sim um contexto e uma isca

Para construir um “assunto” corretamente, julgo necessário ter duas coisas em mente:

  • entender quem é a pessoa que receberá o email e sua relação com a mensagem (o conteúdo do email)
  • ser instigante e obrigatoriamente existir conexão com a mensagem, pois se “fisgar” a pessoa por uma razão e conduzi-la a outra coisa, sua conversão vai pro brejo

 

Use a segmentação para não falar com a pessoa errada

Quando falei em entender quem é a pessoa que receberá o email quero falar em saber em que momento do processo de compra ela está e, muito importante, qual a relação dela com a sua empresa.

A base ideal é que todos já tenham tido contato com a sua empresa, seja preenchendo um formulário no site, fazendo um contato com um corretor, assinando o blog da imobiliária, etc. Sem uma base que lhe conhece, você realmente estará falando com um desconhecido. Não basta apenas você conhecer a pessoa, ela tem que lhe conhecer e, importante, autorizar você a enviar emails a ela. Mas isto é pauta para outro artigo.

Voltando a segmentação.

Quando você sabe o que quer seu contato fica mais simples de lhe comunicar algo. Simples e com maior potencial de conversão. Se quem receberá o email não tem interesse em comprar uma casa, mas sim um apartamento, não convém enviar um email com oferta de casas. Concorda comigo?

Ou se você enviará um email para sua base de inscritos no blog (supondo que seu blog fale de decoração, arquitetura, processo de compra, venda e locação, etc.) não enviaria um email puramente comercial, por não saber se, na totalidade, elas estão interessadas em negócio, sondando a possibilidade de comprar/alugar ou interessada em decorar sua própria casa melhor.

Saber destes “detalhes” é imprescindível para não gerar antipatia com sua base de emails, o que fará com que estas pessoas se descadastrem ou que marquem seus envios como spam (o que é péssimo).

 

A mensagem tem cara de assinatura, mas de uma assinatura ruim

Doze! Doze números de telefone em apenas um email! Algum problema grave nisto? Sim, mas o pior de tudo é que a mensagem nada tem a ver com o “assuntão”. Mas você pode pensar que “ah, mas no ‘assunto’ está pedindo para ligar”. Sério que você conseguiu ler até lá? Piadas de lado, isto não é o tipo de “conexão” que se espera de um email – tampouco construído desta maneira.

Além do mais, as informações exageradas de contato não receberam sequer um “Olá, tudo bem?”. Nem um “E aí, como é que tá?”. Use a regra básica de escrita de uma “carta” e da comunicação – principalmente quando com um desconhecido: a cordialidade.

 

Na mensagem, não abuse de cores, tamanhos e não use tudo em itálico

Para desenvolver um email em texto e destacar informações, faça isto com cores e itálico, sem problemas. Mas quando você destaca tudo e com diversas cores, acaba destacando nada.

Assim como este texto está estruturado em tópicos com títulos e subtítulos, o seu email também deve ser construído assim. Porém, não seja cansativo com um email gigantesco. Seja breve, pontual, simples e inteligente em seu contato.

 

Uma assinatura simples e com conteúdo, mas organizada

Organizar a informação é essencial para comunicar efetivamente. Obviamente não é para colocar de “forma organizada” os 12 contatos possíveis com você. Priorize um ou dois telefones para informar na assinatura e use os telefones “extras” para fazer uma gentileza ao seu cliente, perguntando a operadora que ele usa e lhe dando um número em que, para economizar, ficará melhor de você ser contatado.

Dou como exemplo a minha própria assinatura de email aqui no Properati. E com isto termino este email. Digo, artigo.