Tem mais busca por imóveis para alugar ou vender no Brasil?

Dados surgem no mercado constantemente sobre o desejo de compra ou locação da população, principalmente quando o assunto é internet, pois existe capacidade de mensurar com maior precisão esta demanda. Mas existe diversos “poréns” como uma diferença crucial entre dados da internet e dados próprios com distorções naturais devido às características do mercado de locação, por exemplo.

Veja o seguinte gráfico abaixo. Ele representa a variação de pesquisa e volume comparado entre os termos pesquisados nos últimos 3 meses no Brasil para o mercado imobiliário.

demanda por aluguel no brasil ultimos 12 meses

O Google é mecanismo de busca mais utilizado no Brasil e no mundo, logo, é possível afirmar que as buscas realizadas através dele devem refletir a demanda por imóveis na internet. Assim, sendo estas as pesquisas com maior volume, seria possível dizer que existe maior demanda por locação do que por venda – isto levando em consideração a Teoria da Cauda Longa e o Princípio de Pareto, onde 80% das pesquisas estariam em 20% dos diferentes tipos de palavras-chave utilizadas para encontrar o imóvel.

Bom, indo ao outro lado da balança do mercado imobiliário na internet.

Se o Google sintetiza a demanda online, portais e sites de imobiliárias têm a resposta da oferta. Certo? Sim, porém existe um descompasso entre a demanda e a oferta.

Fizemos um levantamento em 4 portais brasileiros, incluindo o Properati, para saber qual a proporção de locação e venda para o filtro “apartamento” e “São Paulo/SP” anunciados no dia 17/07/2015 e comparamos isto com a média obtida pelo Google Trends para as pesquisas “apartamentos a venda” e “apartamentos para alugar.

E o que temos é o seguinte cenário:

O que se percebe claramente é que a oferta e a demanda estão inversas. Enquanto a média de oferta de locação nos portais é de 18%, a demanda é de 68%!

Obviamente, se existem mais imóveis à venda anunciados, receberei maior volume de contatos de quem quer comprar e não alugar. O volume baixo de imóveis para locação anunciados “colabora” com a baixa exposição destes, logo, mesmo com uma demanda alta, a proporção de contatos continuará desigual.

Uma demanda sem oferta ou sem anúncios?

Aí chegamos em um ponto crítico talvez. Existe demanda, porém o que é anunciado está em desequilíbrio. Existe um volume maior de imóveis para locação, certamente. Entretanto, é possível que a alta rotatividade dos aluguéis possa “colaborar” com uma possível desatualização das bases de imóveis nos softwares das imobiliárias – o que reflete em seus próprios sites e nos portais em que anunciam.

Você, que é gestor de imobiliária ou corretor de imóveis, dentro do que você vivencia em sua empresa, o que pode estar gerando o baixo volume de anúncios?

Poucos imóveis para alugar, a ficha do imóvel não é reativada no software no período de vacância, existe fila de espera para alugar?