Cresce inadimplência no “Minha Casa Minha Vida”

Um momento indesejável, porém previsível quando se trata de um cenário turbulento na economia com desemprego e inflação em alta; e junto com isto um histórico recente de endividamento com compra de casa e carro, por exemplo, além do crescimento do consumo em geral.

inadimplencia

Mas estamos aqui, em junho de 2015, com notícias de que a inadimplência dentro do programa “Minha Casa Minha Vida” cresce, principalmente, na faixa 1 de renda, que vai até R$ 1.600,00 variando de 17,5%, em abril/2014, para 21,8%, em março/2015. Destes imóveis com pagamentos atrasados a mais de 90 dias, nenhum foi retomado.

Porém, na faixa 2 e 3 (famílias com renda de até R$5.000,00) já foram retomados 5308 unidades. Nestas faixas, a inadimplência passou de 1,9% para 2,2%, no mesmo período citado acima.

 

Fonte: Folha, Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal