Agora é preciso ser #maiscorretor para se destacar no mercado

Passou o tempo em que “vender era fácil”, época em que os clientes surgiam “do nada”, tinham crédito, renda e fechavam com o primeiro corretor de imóveis. Bom, claro que estou exagerando e minimizando os bons anos de aquecimento do mercado em uma situação “menos rara” durante este período. Mas que agora volta a ser raríssima – ao menos para corretores medianos, que esperam que as coisas aconteçam ou que a imobiliária por si só lhe traga contatos, leads, prospects ou clientes. É preciso ser #maiscorretor!

Não é dizer que se vivia na mamata e que agora é hora de trabalhar. Não seria louco de dizer isso! Vida de corretor, no bom ou no mau período econômico, é cansativa, tanto no físico quanto no emocional. Porém, é no “mau momento”que mora a grande oportunidade e a necessidade gritante inovar.

maiscorretor

Em três macro tópicos vou dizer o que um corretor de imóveis precisa para ser #maiscorretor e poder se destacar no mercado e ter sucesso.

 

Estude, mas muito e sempre

Se a única constante é a mudança, a única obrigação do profissional imobiliário é a capacitação constante. Só o conhecimento é capaz de transformar um corretor medíocre em um corretor de sucesso. Temos diversas formas de adquirir conhecimento diariamente e de modo gratuito.

A primeira delas é conversar com colegas sobre a rotina profissional, situações que ocorreram, argumentações que usam, etc. Troca de ideias entre pessoas é enriquecedora para ambas as partes e, por favor, não tenha o menor receio de aprender com um corretor com menos tempo de profissão ou para alguém mais novo. Duas cabeças pensam melhor que uma e, quando se une a grande experiência com uma menor experiência o conhecimento de um com a ausência de vícios da rotina se complementam e daí surgem novas soluções para velhos problemas (problemas que, para a “voz da experiência” nem existiam, até que alguém achou uma forma mais simples de fazer com o mesmo ou melhor resultado).

O conhecimento está espalhado por aí nas mentes de pessoas distintas e quando chega aos ouvidos de quem sabe ouvir, os pontos se conectam e vira uma ideia. Humildade acima de tudo para se permitir saber mais.

A segunda forma, e não menos clássica, são cursos e palestras com temas específicos que poderão aprofundar seu conhecimento de forma densa em um curto espaço de tempo – mas que exige estudo posterior, reflexões e um período de maturação do conteúdo que você teve acesso, pois não serão 2 horas de palestra ou 20 horas de curso que o tornarão um mestre no assunto.

einstein

A terceira você já conhece e está em um. Blogs, sites e fóruns especializados no mercado imobiliário sempre trazem informações ricas e boas ideias para você começar a utilizar logo em seguida. Obviamente, antes de sair implementando ideias, é bom refletir e buscar mais sobre o tema, pois nem sempre um post tem a profundidade total que pode ser atingida sobre o assunto e, sendo assim, para tirar mais suco deste limão “pré-espremido”, é preciso espremer mais – aí dá uma limonada boa. :)

Em resumo, fontes de estudo existem. Conteúdo existe e em abundância. É gratuito na maioria dos casos ou ao menos de baixo investimento em outros (visto o retorno que terá).

E só depende de uma coisa para que ele possa ser seu de modo que ninguém mais lhe tire: estudar.

Nem que seja 10 minutos do seu dia. Verá que o conhecimento transforma o profissional e, se não estudar, perceberá que o seu cliente transforma-se muito rápido e será difícil acompanhá-lo estando desatualizado. Não perca ele de vista!

 

Trabalhe duro e seriamente

Mais uma vez: não digo que seja fácil, tampouco que o trabalho seja mole. Mas cenários adversos como este que o Brasil está entrando podem fazer com que amoleçamos frente à dureza do mercado – por insegurança ou medo. Tem dois agravantes no nosso presente: o mercado instável economicamente e os consumidores mais inteligentes e tecnológicos.

Frente a isto, mercado e consumidor, é preciso que você intensifique seu aprendizado para que possa validar – testar estratégias e chegar a uma conclusão do que deu certo – e seguir se desenvolvendo no mercado que conta com um volume enorme de corretores de imóveis oriundos da época de aquecimento.

Além disso, é hora do próprio mercado encontrar seu equilíbrio. Foi assim nos Estados Unidos e será aqui no Brasil também. O mercado tem sua justiça e após a chegada de muitos na boa fase, quando é chegada a má fase (em relação a que passou) só existem 5 profissionais:

  • o que já estava no mercado, tem sua carteira de clientes e se mantém atualizado quanto ao comportamento do cliente (no mais amplo dos aspectos);
  • o que já estava no mercado, tem sua carteira, mas acha que está bem assim e que dá pra continuar fazendo o “sempre fiz assim, pra quê mudar?” e verá suas vendas caírem;
  • o que recém entrou e fez um bom trabalho, tendo hoje conhecimento de mercado, é reconhecido de bom relacionamento com clientes e está atualizado;
  • o que recém entrou, achou que era só encher o bolso e mais nada; e que agora vai sentir o peso das más escolhas (aí ele desiste ou amadurece);
  • e o que recém entrou achando que ia ficar rico, fez poucas vendas e já nem aparece mais na imobiliária.

Brincadeiras à parte… é essencial que o corretor de imóveis tenha uma rotina rigorosa em relação a sua agenda, suas prospecções, estudos, medindo resultados e não medindo esforços* para alcançar seus objetivos (*ressalva que desde que sempre de modo ético).

Planejamento e organização lhe ajudarão a não enlouquecer. Tudo isto tendo como base o respeito aos seus limites físicos e mentais.

sucesso-10-talento-90-suor

A maior dica que posso lhe dar é: sempre pense em seu cliente, mesmo que seu cliente possa lhe trair com outro corretor. Nunca traia sua confiança e nem duvide de seu conhecimento.

Uma compra tão importante não pode nem será feita sem cuidados. Com toda a informação disponível, o cliente só fecha mau negócio se você, corretor, o conduzir a ele. Cabe a você, talvez, perder uma venda por realmente estar à serviço do cliente. Esta pessoa levará seu nome para seus amigos e parentes como o profissional que lhe ajudou a fazer um bom negócio ou que lhe impediu de fazer um mau negócio.

 

Busque mudança e inovação

A constante é a mudança, mas ser poder ter dois sentidos de mudar pra melhor: adequação ou inovação.

Ao menos esteja adequado, equiparado aos demais em estratégia e conhecimento. Mas o cenário ideal é que você possa inovar de verdade, trazendo uma nova forma de atender o cliente, um método de trabalho que lhe poupe tempo, um site que lhe ajuda a fechar e conduzir uma negociação, etc.

Falei primeiro de conhecimento e trabalho duro, justamente para chegar a este ponto. Você NUNCA vai inovar se não estiver imerso no contexto que pretende inovar. NUNCA! Só será capaz de fazer isto se estiver se alimentando de conhecimento e edificando teses e testes no dia-a-dia com trabalho árduo com foco em FAZER MELHOR SEMPRE!

Quando você tem a mentalidade de fazer melhor unida ao conhecimento e trabalho, a inovação chega mais fácil até você (ou você chega até ela). O fato é que:

  • Sem buscar conhecimento e trabalhando duramente: fará sempre o mesmo, do mesmo modo, no mesmo sentido, e que por sua vez vai te fazer chegar ao mesmo lugar de sempre
  • Sem trabalhar arduamente e buscando conhecimento: talvez terá ideias brilhantes, mas como não está trabalhando duro, não vai testar, provar, errar, acertar, melhorar, errar, testar, melhorar e logo não vai chegar a lugar nenhum

insanidade-rita-mae-bronw

Esta tríade de conhecimento, trabalho e inovação precisa estar em equilíbrio, mas muito importante e pode parecer um rotineiro conselho de mãe ou pai. Quase isto. Conselho de amigo: se alimente bem, se exercite e durma bem.

Trabalho árduo não é levar seu corpo e mente à exaustão por uma mera ambição financeira (mais para frente vai sofrer com remédios e médicos, de quê adianta então?). Claro que terá dias que a cabeça não consegue ficar calada de tanta ideia ou que as tarefas parecem não ter fim. A vida é isto, fazer o quê?

O que se há de fazer é ponderar para que se tenha um equilíbrio entre corpo e mente – pelo simples fato que o sono regenera nossas energias e que uma alimentação de qualidade nos provém de nutrientes e vitaminas que são necessárias para controlar o estresse, pressão e fazer nosso cérebro trabalhar melhor.

 

Só é possível ser #maiscorretor se você sair da mesmice, do lugar comum, do “sempre funcionou assim”, para uma posição de um profissional de atitude que desafia a si próprio a cada segundo para que possa ter sucesso verdadeiro, duradouro e incontestável.

 

E aí, corretor e corretora: quer ser #maiscorretor ou só mais um?